destaque

Posse do Legislativo e do Executivo Municipal de Jaguari – Mandato 2017/2020

No dia 1º de janeiro de 2017, a Câmara Municipal de Jaguari, às 20 horas, realizará a Sessão Solene de Instalação e Posse do Legislativo e do Executivo Municipal para o mandato 2017/2020.

O Poder Legislativo Jaguariense está preparando o espaço para bem receber a comunidade e os familiares dos eleitos. Neste ano o evento disponibilizará no estacionamento do Centro Administrativo, dois telões e cadeiras, para aqueles cidadãos que desejam acompanhar confortavelmente este momento relevante na história do nosso Município.

A Rádio Jaguari Ltda. realizará a transmissão ao vivo e pela internet: http://www.radiojaguari.com.br/site/player.html

Igualmente, para os jaguarienses espalhados pelo mundo será realizada a transmissão pela TV Câmara Jaguari e pelo site Polifotos, nos links abaixo:

TV Câmara Jaguari: http://camara.jaguari.rs.gov.br/sobre/tv-camara-jaguari/

Polifotos: http://www.polifotos.com.br/tv-web/

Contamos com sua participação!

Câmara Municipal de Jaguari terá nova composição a partir de 2017

A Câmara Municipal de Jaguari terá uma nova composição a partir da Legislatura de 2017, após as eleições de 02 de outubro de 2016. De acordo com a atual Assessora Jurídica do Legislativo jaguariense, Tatiana Poltosi Dorneles, na nova composição a Câmara Municipal de Jaguari contará com quatro Vereadores do PMDB: Ezio Jocelito Silva, Jaqueline Dvoranovski Pivetta, Igor Rosa Tambara e Varlei Berger, enquanto a Bancada do PDT volta a contar com dois vereadores: Wolmar Zanini Picoli e Cátina Monteiro Frescura. Por sua vez, o PP continua com as três vagas no Legislativo, com a eleição dos Vereadores Elisângela Piccoli Dri, Valdemar Valente e José Nilton Maia.

(mais…)

Download

NOTA OFICIAL DE FALECIMENTO

Prefeitura Municipal de Jaguari

Câmara Municipal de Jaguari

NOTA OFICIAL DE FALECIMENTO

 

Os Poderes Executivo e Legislativo do Município de Jaguari, imensamente consternados com a perda de seu ilustre cidadão, Álvaro de Oliveira Feliciani, comunicam com pesar à comunidade jaguariense e regional, o seu falecimento ocorrido na manhã desta segunda-feira, 27 de junho de 2016, no Hospital de Caridade de Jaguari.

 

Álvaro Feliciani deixa um legado como músico, compositor, comunicador e, especialmente, nos últimos anos, como professor de música, o que permitiu transmitir as novas gerações de Jaguari e da região, parte do seu talento e amor como instrumentista e legítimo cancioneiro gaúcho.

 

Como artista, Álvaro Feliciani, estendeu além-fronteiras, sua potencialidade e a verdadeira essência da música jaguariense e gaúcha, promovendo e destacando sua terra natal e seu rincão riograndense.

 

Álvaro Feliciani, também nos deixa um legado como homem público, foi Vereador Constituinte da Lei Orgânica do Município de Jaguari, nos anos de 1989 a 1992, sendo reeleito para a Legislatura de 1993 a 1996. Também foi Presidente do Legislativo Municipal em 1993, liderando o parlamento municipal com eficácia e espírito democrático, tendo sempre como prioridade ações que promovessem o bem estar da comunidade.

 

Dentre seus principais projetos como Vereador, destaca-se a proposição da lei que institui a canção “Caminhos de Jaguari” como Hino Nativista do Município. Também foi de sua autoria o projeto de lei, que denomino bairro todas as vilas da cidade.

 

Álvaro Feliciani, sempre esteve ligado as suas origens, sendo exemplo de filho, irmão, marido, pai e amigo, preservando os mais autênticos valores da vida em família. Tornou-se um ícone cultural de Jaguari, da região e do Estado do Rio Grande do Sul, sua perda, certamente deixará um vazio em toda comunidade que aprendeu a admirar seu potencial artístico, sua arte, sua vida, seu exemplo de cidadão que amou, cantou e encantou sua terra.

 

Que Deus com sua sabedoria e divindade, consiga confortar toda nossa comunidade e aos seus familiares, nos dando força e coragem para continuarmos nesta caminhada de irmandade entre todos os jaguarienses, “Da moda véia”, como Álvaro Feliciani nos legou.

Jaguari/RS, 27 de junho de 2016.

 

 

             Ézio Jocelito Silva,                                     Sedinei Rodrigues dos Santos,

Presidente da Câmara Municipal.                                    Prefeito Municipal.

Jaguari

Jaguari, conhecido como a “cidade das belezas naturais”, é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

 

Jaguari (Jaguar-hy) é uma palavra de origem guarani e significa “rio do jaguar”.

História

O local onde atualmente localiza-se o município de Jaguari teve como primeiros habitantes os índios guaranis. Em 1632, quando o padre Romero, superior das reduções do Uruguai, e mais os padres Manuel Bertot e Luiz Ernot, vieram reunir-se com Cristovão de Mendonza e Paulo Benevides, fundaram, na margem direita do rio Jaguari a redução de São Tomé. Há informações sobre a existência de outras reduções na região, entretanto, a mais próspera foi a de São Tomé, situada onde hoje se localiza a cidade. São Tome, como as demais reduções, não teve um período de duração muito longo. As mreduções enfrentaram vários transtornos, como a ameaça de onças, pestes, fome e o perigo da invasão bandeirante. Estes fatores reduziram consideravelmente a população da aldeia de São Tomé, que chegou alcançar 1800 almas.

 

Por volta de 1638, São Tomé foi transferida para a margem direita do rio Uruguai, quase em frente à cidade de São Borja. Decorreu muito tempo até que novos acontecimentos surgissem no antigo berço das Missões Jesuíticas.

 

Em 29 de abril de 1871 foi criada uma colônia agrícola para nacionais e estrangeiros na costa da Serra Geral, que margeia o rio Jaguari Grande, no distrito de São Vicente, então município de São Gabriel. No ano de 1877, começou o povoamento das colônias de Silveira Martins, enquanto São Tomé que ficou aguardando para ser povoada.

 

Não havendo mais terras devolutas naquela região, alguns imigrantes desviaram de Silveira Martins para a região de matas entre São Vicente, Santiago do Boqueirão e Júlio de Castilhos, chamada de Jaguari devido ao rio que a percorre. Nesse local, a Comissão de Medicação já havia demarcado 78 lotes de 25 hectares cada um, para o futuro núcleo de Jaguari, e iniciado a construção do barracão que deveria abrigar não só o pessoal da cComissão como também os imigrantes recém chegados.

 

O Núcleo Colônia instalou-se em 1889, à margem direita do rio Jaguari. A urbanização foi planejada e demarcada pelo engenheiro José Manuel de Siqueira Couto, acompanhado dos primeiros imigrantes italianos que obtiveram seus lotes. A estes se seguiram os húngaros, poloneses, russos, e alemães, entre outros.

 

Os primeiros colonizadores foram organizando suas habitações e lavouras em meio à mata virgem, onde a flora e a fauna eram exuberantes e variadas. Nas muitas comunidades que iam se formando, erguia-se, no centro, a capela dedicada ao santo de sua devoção. Ao lado, surgia o salão que, após as devoções, era ponto de reunião para conversa entre amigos e realizações de festas e jogos. A religião entre os imigrantes foi sempre fator de integração.

 

O distrito de Jaguari foi criado pelo ato municipal de 15 de fevereiro de 1893, no então município de São Vicente do Sul. Neste mesmo ano teve inicio a construção da igreja matriz, projetada por Pelegrini e decorada pelo pintor Angelo Lazzarini, sendo colocado em uma das torres um grande relógio, ainda hoje em perfeito funcionamento. A igreja tem como padroeira Nossa Senhora da Conceição, e teve sua obra concluída em 1907.

 

Por volta de 1894, a população de Jaguari aproximava-se dos oito mil habitantes, cerca de 270 famílias. Neste período teve inicio a instrução publica com dois professores: o sr. Gregório Cony e a sra. Guilhermina de Lemos Javorski. Ainda neste ano, foi instalada a iluminação a querosene por particulares, o que deu grande impulso ao núcleo que se orgulhava do seu desenvolvi mento.

 

Na sede do distrito havia 88 contribuintes do imposto de indústrias e profissões, e o comércio mantinha-se ativo com a capital e as demais cidades. Em 1899, quando houve a encampação do serviço de iluminação publica, ocorreu, de forma festiva, a inauguração da ponte Júlio de Castilhos sobre o rio Jaguari. Assim como o sistema rodoviário, também o ferroviário foi uma constante preocupação do administrador da colônia, no que resultou na ampliação do ramal ferroviário de Dilermando de Aguiar até Jaguari.
O município de Jaguari foi capela curada em 12 de dezembro de 1889, passando a ser paróquia em 8 de dezembro de 1915. Em 16 de agosto de 1920, Jaguari elevou-se a categoria de município, possuindo quatro distritos: 1° – sede, 2° – Santo Izidro, 3° – Ijucapirama e 4° – Taquarichin. Seu primeiro intendente provisório foi o bacharel Miguel Chimiclewisk.

Geografia

Jaguari localiza-se a uma latitude 29º29’51″ sul e a uma longitude 54º41’24″ oeste, estando a uma altitude de 112 metros. Sua população estimada em 2004 era de 12.354 habitantes e, em 2007, de 11.626 habitantes, segundo o IBGE. Com uma área de 861.42 km quadrados, o município é banhado pelo rio Jaguari, afluente do rio Ibicuí. Localiza-se na Região Centro-oeste do Estado, possui como limites ao Sul, São Vicente do Sul e Mata – Leste, Jari – Oeste ,São Francisco de Assis e Nova Esperança do Sul.

 

Economia

A economia jaguariense é baseada no setor primário, com destaques para a produção de fumo, soja, arroz, uva e cana-de-açúcar. O município também produz vinho e cachaça de excelente qualidade.

Eventos

Grito do Nativismo Gaúcho de Jaguari – festival de música nativa, normalmente agendada para o verão, serve de palco para os compositores e cantores desta modalidade.

 

Atrações turísticas

  • Rota Nostra Colonia
  • Balneário Fernando Schiling
  • Gruta de Fontana Freda
  • Parque Florestal Azzolin Olson – localizado próximo ao campo do Guarany, foi uma doação particular para o município e para o povo jaguariense.
  • Obelisco – Marco que em 1922 foi erguido no topo de um cerro para homenagear o Centenário da Independência do Brasil.

Referências

  • Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  • Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 16 de agosto de 2009.
  • Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  • Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (19 de dezembro de 2007). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  • Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol.XXXIII, org. por Jurandir Pires Ferreira, Rio de Janeiro, 1959.
  • Fonte de referência

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Jaguari